Hackers divulgam dados pessoais de Bolsonaro e seus familiares

Um grupo de hackers, que diz pertencer ao Anonymous Brasil, divulgou dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro, dos filhos Flavio, Carlos e Eduardo Bolsonaro, além de ministros e um deputado.

Após quase dois anos de inatividade, o grupo de hackers usou uma conta no Twitter para vazar as informações pessoais dos integrantes do governo e familiares do presidente. O vazamento expôs dados da ministra Damares Alves e do ministro Abraham Weintraub.

A ação atingiu ainda o empresário Luciano Hang, proprietário da rede de lojas Havan, e o deputado estadual por São Paulo Douglas Garcia, do PSL. No Twitter, Garcia pediu que o perfil dos hackers fosse denunciado pelos usuários e a conta foi suspensa pela rede.

Os dados, que incluem CPF’s e números de celulares, porém, já estavam em diversos links e cópias espalhadas pela internet.

Carlos critica vazamentos

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi mais um a confirmar o vazamento de dados pessoais reivindicado na noite de segunda-feira (1º) por perfis no Twitter que dizem pertencer ao grupo hacker Anonymous Brasil. Na manhã desta terça, o filho do presidente Jair Bolsonaro escreveu em sua conta no Twitter que o ataque é uma “clara tentativa de intimidação” e que “medidas legais estão em andamento”.

Carlos relacionou o vazamento ao que chama de “turma ‘pró-democracia'”, em alusão às manifestações realizadas nos últimos dias contra o presidente, e reiterou críticas aos desdobramentos do inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal (STF). “Após vermos violações do direito à livre expressão, agora ferem a privacidade. Sob a desculpa de ‘combater o mal’, justificam seus crimes e fazem justamente aquilo que nos acusam, mas nunca provam!”

Um desses perfis publicou imagens que alega retratarem a lista de bens declarados por Bolsonaro, com valor idêntico à declaração apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de R$ 2.286.779,48, e até uma suposta fatura de posto de gasolina em nome do presidente no valor de R$ 56.160,00, com data de fevereiro deste ano e endereço de cobrança no seu endereço residencial na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. O número do CPF do presidente também foi exposto.

Sob a hashtag “#vazaram”, usuários do Twitter compartilharam capturas de tela em que dizem ter feito compras no valor de dezenas de milhares de reais com o cartão corporativo de Bolsonaro, cujos dados também teriam sido divulgados, e até filiado o mandatário ao PT.

Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.